Muito mais do que fomentar a economia apenas de hotéis e de quem trabalha diretamente na Bauernfest

Bauernfest movimenta diferentes setores da economia
Bauernfest movimenta diferentes setores da economia

O evento movimenta diversas áreas, principalmente do setor de serviços do município. Do pipoqueiro a grandes restaurantes, passando pelo comércio, taxistas, artesãos, cervejeiros, entre outros, têm faturado com o aumento do número de visitantes nos 17 dias da Festa do Colono Alemão. A Bauernfest, além de ser um dos principais eventos do calendário turístico da Cidade Imperial, é, também, fundamental para a economia e importante fonte de renda para muitos petropolitanos.

Só no ano passado, a festa, que é a segunda maior do segmento no país, movimentou R$ 43 milhões e a expectativa é de que, terminada esta 30ª edição, com sete dias a mais – passando de 10 em 2018 para 17 neste ano -, o número seja ainda maior. “É um evento que ajuda desde a economia familiar, com produtores artesanais – aquela pessoa que faz seus produtos em casa, da gastronomia, do artesanato, da cerveja artesanal -, até empresas, salões de cabeleireiro, o pipoqueiro da rua, ou seja, um evento como esse mexe com toda a cidade”, destaca o prefeito Bernardo Rossi.

Exemplo disso, Marlene Lima, que mantém uma barraca de açaí há três anos na Praça da Liberdade, destaca que a Festa do Colono Alemão faz com que as vendas aumentem, principalmente, nos fins de semana. “O movimento durante a Bauernfest costuma dobrar o nosso faturamento. Eu e minha filha trabalhamos juntas para dar conta, já que em alguns momentos fica muito cheio”, disse.



Outra que está faturando é a pipoqueira Mariana Andreza Lemos, que trabalha na barraca da família também na praça há cerca de dois anos. No período da Bauernfest, ela registra o aumento de movimento em até 50%. “Já percebemos a cidade mais cheia, com uma boa movimentação na Praça, com a presença de turistas e de famílias”, destacou.

Também ganham um dinheiro extra os petropolitanos que estão alugando casas por temporada. O aposentado José Luiz Baltor, por exemplo, tem dois “lofts” próximo ao Palácio de Cristal e aproveita o período para faturar. “Construí este imóvel em anexo a minha casa para aluguel mensal. Tendo em vista a grande procura, por ser próximo ao Palácio de Cristal onde acontece a Bauernfest e a Cervejaria Bohemia, decidi abrir a residência recém equipada para aluguel por temporada na alta temporada em 2017. Em 2018 tivemos tanta procura que resolvemos construir mais uma unidade e hoje possuo dois imóveis que disponibilizo para locação”, disse.

“É um evento que presta uma homenagem aos colonos germânicos que ajudaram a construir nossa cidade, mas também fundamental para a economia do município. Através desses dias com intensa programação, conseguimos atrair muitos visitantes, que acabam deixando muita receita na cidade”, frisa o diretor-presidente do Instituto Municipal de Cultura e Esportes (IMCE), Marcelo Florencio. “Esse tipo de evento é fundamental para vencermos a crise”, acrescenta o secretário de Desenvolvimento, Marcelo Fiorini.

Dentro da festa também há muito espaço para a economia familiar. Bruno Albuquerque, por exemplo, que produz algumas das sobremesas típicas, consegue complementar a renda com a festa. “A tortinha alemã é o meu carro chefe. A minha mulher faz em casa e só no ano passado vendemos mais de mil tortinhas. Esse ano a expectativa é vender ainda mais”, disse.