Prefeituras não seguirão reabertura sugerida pelo governo do Rio

As medidas restritivas começaram em março devido ao coronavírus

Prefeituras não seguirão reabertura sugerida pelo governo do Rio
Prefeituras não seguirão reabertura sugerida pelo governo do Rio

Mesmo com o decreto do governo do estado que autoriza a reabertura gradual da economia, com o funcionamento de shopping, igrejas, pontos turísticos e bares, diversas prefeituras fluminenses já anunciaram que seguirão os planos municipais de retomada, com reabertura mais lenta do que o determinado no plano estadual. As medidas restritivas no Rio de Janeiro começaram em meados de março, com o avanço da pandemia de covid-19 no país.

Ontem (7), o prefeito Marcello Crivella criticou o decreto do estado e afirmou que vai manter o cronograma de reabertura definido na semana passada pela prefeitura. Nesta primeira fase de abertura na capital, de um total de seis, está permitido o funcionamento do setor de serviços, agências de automóveis, lojas de móveis e de decoração.

As lanchonetes, bares e restaurantes mantêm o esquema de entrega em domicílio e retirada no local fechadas. Hotéis e hostels podem funcionar, as praias estão liberadas apenas para atividades físicas no calçadão e esportes aquáticos individuais, assim como os parques. Permanecem fechados o comércio de rua, os shoppings, as academias e os pontos turísticos.

Na segunda fase de abertura, prevista para iniciar na próxima semana, a depender dos indicadores de contágio e disponibilidade de leitos na rede hospitalar, lojas de shoppings poderão abrir com restrições. Apenas na terceira fase, prevista para 15 dias após a segunda fase, serão reabertas academias, escolas e salões de beleza.



Petrópolis

Na região serrana, a prefeitura de Petrópolis autorizou a partir de hoje o funcionamento com restrições do comércio ambulante, estúdios de pilates e massagem/fisioterapia com atendimento individual, agências de publicidade, lojas de vestuário, acessórios e calçados, comércio de móveis, eletrodomésticos e eletrônicos, imobiliárias, lojas de equipamentos de informáticas, escritórios de contabilidade e advocacia, joalherias e relojoarias, agências de turismo e Salão de Beleza.

Na semana passada já estavam liberados, além dos serviços essenciais, os estacionamentos particulares, papelarias e lojas de suprimentos para escritório, lavanderias, autorizadas, óticas, concessionárias e agências de veículos, os restaurantes e lanchonetes às margens da BR 040, lojas de autopeças, de tecidos, armarinhos, chaveiros e consultórios médicos e odontológicos.

Ainda está em análise o funcionamento dos restaurantes, lanchonetes, bares, estabelecimentos comerciais em geral, shoppings, academias, feiras de roupas e acessórios e os serviços de hospedagem.

Fonte: Agência Brasileira de Notícias

Deixe uma resposta